jump to navigation

Uma pequena viagem à Alemanha – culpa do SP2! 21/07/2015

Posted by Cesar in Uncategorized.
add a comment

Bom. Muitos acompanharam minha viagem à Alemanha pelas fotos que fui colocando ao longo do mês passado e do início deste mês no Facebook. Quem acompanhou pôde reparar que o principal foco da viagem foi ver carros.

Há cerca de 5 anos acabei escolhendo o antigomobilismo como um hobby e quando me deparei com a oportunidade de participar de um evento estrangeiro, abracei a ideia. Ao longo destes anos acabei por fazer amigos fora do Brasil que não só apoiaram o hobby, mas também foram anfitriões desta empreitada internacional. Não poderia deixar de mencionar Beat Bähler (e sua esposa Edit), bem como Achim e toda sua família. (não esquecendo Markus, Michael, Jurgen(s), Andrés, Horacio e muitos outros doidos proprietários de SP2 fora do Brasil).

Para explicar tudo, a aventura começou com uma mensagem de Achim dizendo: “fui convidado, junto com meu carro, a participar de um evento famoso aqui na Alemanha, sendo que o carro será destaque, uma vez que o evento só aceita carros até 1960 e meu carro é de 1974”.
Voltando um pouco no tempo, em 2013 recebi um e-mail do Achim pedindo ajuda para adquirir um carro no Brasil, mais especificamente um SP2. Além disso: ele queria participar de nosso (VW SP2 Club) evento Bi-Anual que acontece em Barra Bonita (teremos em Setembro de 2015!). Em resumo: posso dizer que sou um dos maiores culpados pela exportação de um SP2 para a Alemanha.
Antes da mensagem, sempre tive como foco minha 2ª viagem para a Europa (a primeira foi em 2011) visitar Alemanha, Portugal e Espanha. Porém, com este convite, e depois de muito pensar, acabei decidindo: vou ver carro na Alemanha, em outra oportunidade farei a viagem completa, visitando Berlim e Munique. Mas fui surpreendido por mais uma mensagem: outro amigo europeu decidiu me ajudar na viagem – Beat.

O Beat (nome que não se pronuncia da forma como você deve estar pensando) é um Suíço que veio ao primeiro evento de SP2 já realizado (o nosso querido 1º Encontro Mundial de SP2).

Em uma rápida retrospectiva: recebi, dentro de um grupo que participava, a notícia, por meio de Tiago Songa, que um gringo queria visitar o 1º Encontro Mundial de VW SP2. Por possuir certa desenvoltura com a língua inglesa, decidi ajudar. E, assim como fiz com Achim 2 anos depois, ajudei o Beat aqui no Brasil, como guia e tradutor.

Desta vez eu é que estava indo para o velho continente, agora com dois guias e intérpretes. E pior, recebi como mensagem: “você elevou o patamar de nossa viagem, agora queremos retribuir”.

E com certeza conseguiram (e até ultrapassaram).

Bom, em que pese ter visitado dois amigos, fato é que direcionei a viagem a ver carros antigos. E a partir de agora tentarei resumir somente a parte automobilística de minha viagem. O número de dias não corresponderá exatamente aos dias que passei na Alemanha e na Suíça, mas representará, do ponto de vista de velharias, o que foi aproveitado.

1º Evento: Bad Camberg

Como disse (e o mote de toda a viagem) o início se deu com a participação no evento realizado em Bad Camberg, organizado pela Família Lotterman há muitos anos.

Já participei de uma porção de eventos no Brasil (e um na Argentina), e posso dizer que o evento de Bad Camberg prima pela qualidade dos carros. Sim, são em sua maioria Fuscas, mas Fuscas que não serão nunca vistos no Brasil, seja pela sua raridade, seja pela qualidade. São veículos incríveis, alguns vindo da Indonésia e muitos do Reino Unido, fora outros países europeus.

Neste evento fui acompanhando o SP2 violeta pop do Achim, carro que definitivamente fez sucesso por lá.

Vale lembrar da palestra do amigo Alexander Gromow sobre o Dia Mundial do Fusca, criado há 20 anos no mesmo evento. Inesperadamente fui citado na palestra!

Após 3 dias de evento e muita conversa com donos de SP2 do mundo inteiro (Belgas, Alemães, Brasileiros e até Americanos), além de encontrar alguns brasileiros amantes de Fusca (Anderson e equipe) fui para a Suíça encontrar o Beat e começar a visitar a parte “sul” da Europa. Aqui vale um comentário: em meu desembarque, como já postei no Facebook, fui recebido pelo Beat e seu Karmann Ghia Automático.

2ª Visita: La Cité D’automobile

Também conhecida como Schlumpf Museum, é um acervo incrível, em sua maior parte de carros pré guerra. A história dele é simples (e conto de orelhada, não fui pesquisar): dois irmãos, aristocratas e donos de uma fábrica mantinham uma coleção de automóveis inacreditável, em sua maior parte de Bugattis. Porém, acabaram na banca rota, razão pela qual declararam falência, tendo seus bens tomados pelo governo francês. Ao contrário do que acontece no Brasil, o que decidiu o governo francês? Criou um museu.

A Schlumpf Collection está em Mulhouse, uma cidade francesa localizada quase na fronteira entre Alemanha, Suíça e França. A coleção é bem grande, e vistosa para quem curte veículos pré guerra e de corrida. Gasta-se umas 3 horas, a 4, a depender do visitante.

3ª Visita: Museu da Mercedes Benz

Confesso: não sou um fã da marca, tampouco um admirador dos veículos com a estrelinha na frente. Claro, uma asa de gaivota é um carro que contagia, bem como a admiração pelas pessoas que criaram estas máquinas que hoje chamamos de carro. Mas fato é que sou fã de outras marcas alemãs, como veremos mais abaixo.

Pois bem. Em que pese não curtir a estrelinha, não posso deixar de dar minha mão à palmatória ao museu. Uma palavra resume a experiência: incrível. O cuidado que a marca tem não só em passar a história de seus veículos, mas todo o histórico por trás do uso de veículos ao longo dos anos é algo indescritível. Vale muito a pena a visita. Fora que de longe é a melhor loja de souvenires que visitei!

Se posso deixar uma palavra sobre o museu, ela será: visite!

4ª / 5ª / 6ª Visitas: Porsche

Como 4ª visita posso registrar a fábrica da Porsche. Com a ajuda de mais um amigo (Jürgen Oberenzer), acabei por participar em uma visita guiada (em inglês, já que falo mais russo do que alemão e garanto que com meu russo não chego nem na esquina) por toda a fábrica. Muito legal mesmo, apesar de não poder registrar nada.

Bom, a visita à fábrica levou à 5ª visita: o Museu da Porsche. Como o Museu da Mercedes já tinha elevado o padrão, foi uma visita que deixou um pouco a desejar. Não foi uma experiência completa. Não que tenha sido ruim, mas foi mais uma olhada a um acervo de carros incompleto do que qualquer coisa (visitar o museu da Porsche e não ver nenhum 550 exposto não existe, mas aconteceu).

Mas também a visita pode ter sido influenciada por um evento/visita (6ª) que aconteceria minutos depois: a participação no Porsche Drive. Algo que sempre disse para mim desde pequeno (influenciado pelo meu pai) é que dirigiria uma Porsche quando visitasse a Alemanha. E foi exatamente o que fiz. A própria Porsche organiza isto e disponibiliza o 911 que quiser. No meu caso um fantástico 911 Targa Azul, por 1 hora.

Não esqueça de levar a carteira de habilitação internacional. Não que eu tenha levado, mas posso dizer que por muito pouco não consigo realizar mais um sonho.

Dica: alugue por mais de 1 hora (o pacote de 3 horas) e não o faça numa sexta feira. Vá por mim.

7ª Visita: Sinsheim Technik Museum

No último dia com o Beat poderia escolher entre ir para o museu da Audi ou para o museu teconógico de Sinsheim. Como além de antigomobilista sou fanático por história da guerra e aviões, não podia deixar passar a oportunidade de entrar em um Concorde e um Tupolev supersônicos.

Fora isso, o museu é repleto de carros raríssimos, o que vale a visita. Não é muito próximo de Stuttgart, mas recomendo uma passada se for caminho.

Assim acaba-se minha estada na Suíça/França/Alemanha com o auxílio de Beat e Edit, aos quais sou extremamente grato.

Mas volto a me encontrar com o Achim para o restante da viagem.

8ª Visita: AutoStadt e Zeit Reuss

Tá, esperava mais. A Autostadt, em Wolfsburg, é um local mantido pela Vokswagen (e, portanto, pelas marcas detidas pela VW), contendo prédios específicos para cada uma das principais marcas do grupo (exibindo poucos, para não dizer muito poucos, carros novos). Como fui ver carro velho, e não carros novos (fora o fato de poder vê-los no Salão do Automóvel), foquei minha visita para a Zeit Reuss.

A Zeit Reuss é um museu com carros que marcaram época, ou que de alguma forma foram inovadores. Muito bem mantida, pude visitar com guia falando inglês, o que ajudou um bocado. O que me marcou foi poder ver, juntos, o DeLorean e um Porsche 930, ambos sonhos de consumo.

Em poucas palavras: a Zeit Reuss salva a AutoStadt, que deixa um bocado a desejar.

9ª Visita: Museu da Volkswagen

Para mim o ápice da visita;viagem. Sou fã da marca e esperava ir nesse museu. Mas poder ver carros únicos da marca, protótipos que originaram ícones (como do Karmann Ghia Typ 34) e outros protótipos que vi em revistas quando pequeno, foi impagável.

Impagável também foi poder fazer esta visita em um dia em que o museu não abria. Visitei na segunda feira, dia sabidamente fechado ao público, em uma visita guiada pela curadora do museu.
Vale muito a pena.

10ª Visita: 1ª Coleção Particular – Mr. Grundmann

Durante o evento em Bad Camberg pude conhecer algumas figuras carimbadas no mundo dos antigomobilistas. Uma delas foi o Sr. Traugott Grundmann e seu filho Christian Grundmann, que possuem uma coleção invejável, além de serem organizadores do evento em Heisisch Ossendorlf, do qual pretendo participar daqui a alguns anos.

Podendo conversar com eles, o Achim conseguiu agendar uma visita. A coleção mais parece um museu. Pude ver carros únicos como o protótipo mais antigo do Fusca nas mãos de um colecionador particular ou o Herbie original usado no filme, bem como um protótipo do Schwimwagen que estava no bunker de nada mais nada menos que Hitler. Fora os inúmeros VW Rometsch restaurados pela equipe da família, que já trabalhou, inclusive, para a Zeit Reuss.

11ª e Última Visita

Para terminar a passagem pela Europa antigomobilista, não podia ser melhor recebido por mais um amigo, Jurgen Kolle. Dono de uma coleção invejável, Jurgen, me recepcionou de braços abertos, explicando, carro a carro, sua coleção. E ele possui o 4º SP2 que conheci na Europa (e o 7º fora do Brasil). Passei uma tarde toda em seu museu na cidade de Braunshweig, que recomendo com gosto. Pode ser uma coleção meio esquecida, mas vale pela raridade dos carros e mais ainda pela receptividade do Jurgen. Com certeza o visitarei novamente.

Ufa! Aqui se encerra a viagem que fiz pela Europa. O resto do tempo (passei 16 dias fora) visitei pontos turísticos ou passei na companhia de Achim, Sonja, Beat e Edit, momentos que serão guardados na memória com carinho. Mas para um antigomobilista, a viagem acima foi singular, e merece ser repetida.

São muitas as fotos, mas publicarei aqui. Editarei este Post para que fiquem em um lugar só. Então: se tiver interesse em vê-las, volte em breve a este local!
Abraços!

Cesar

Aniversário 23/05/2015

Posted by Cesar in Amigos, História, Restauração.
add a comment

Há exatos 5 anos fui a Resende, no Rio de Janeiro, com meu cúmplice (Caio), buscar o que imaginava ser um projeto de 1 ano. Os 5 anos passaram e o projeto ainda continua (não, não vai completar 6, nem chegará perto de…).

Não fico triste por não ter completado o carro ainda. As histórias por trás de toda sua restauração (sendo a primeira, inclusive, representada por esta foto) e os amigos que fiz nesse longo caminho valeram toda a espera…

Mas claro que, ao contrário de outros aniversários,  para este aniversariante não vou desejar “que venham mais cinco anos”. Desejo apenas um “fique pronto logo”.

image

Motor funcionando 07/03/2015

Posted by Cesar in Peças, Restauração, Serviços.
add a comment

Depois de instalado, agora o motor está funcionando, regulado e com equalização feita!

Abaixo fotos do motor sendo equalizado e um vídeo dele já funcionando.

IMG-20150307-WA0014 IMG-20150307-WA0015

A fila anda…. 17/02/2015

Posted by Cesar in Peças, Restauração.
add a comment

Quem eu disse que seria o próximo da fila na minha restauração?  Ele, o coração de 1700cc….

Continuando a série “Agora vai” estrelando meu SP2 e sua restauração,  agora com seu novo coração no lugar.

Ainda faltam as latas (para leigos, carenagens que permitem o correto fluxo de ar no motor), mas ele já está instalado, com rolamentos, embreagem, tudo novo…

E um dono contente…

image

image

image

image

Mais mecânica 12/02/2015

Posted by Cesar in Peças.
add a comment

Embreagem, freios, pontas de eixo e rolamentos sendo revistos…. Tudo novo!

 

 

E o próximo da fila é quem?!?

 

Ele!!!

IMG-20150212-WA0030

Câmbio 16/01/2015

Posted by Cesar in Uncategorized.
add a comment

O que seria o mundo sem whatsapp…
Agora que o carro está em Franca estou recebendo updates diários do andamento da montagem.

Como a mecânica estava fora (motor e câmbio comprados depois), está sendo montada agora, fora a revisão completa de suspensão,  amortecedores e freio.

Seguem fotos do câmbio sendo preparado para montagem e depois sendo montado! Pros detalhistas de plantão,  pontas de eixo e rolamentos estão sendo trocados…

Vamos ver se assim revivo o blog que estava meio parado!

image

image

image

image

image

image

Update: Já (?) em Franca 07/01/2015

Posted by Cesar in Uncategorized.
add a comment

Vai que 4 meses só para dar um follow up da restauração não é muito, considerando o meu histórico….

Mas olhem só quem tem novidades!

Teto e forro lateral colocados, cajado instalado, para brisa com friso, ventarolas, tudo no seu devido lugar!

E agora o carro está em Franca e sua montagem deve prosseguir mais rapidamente, já que lá conto com mais profissionais trabalhando ao mesmo tempo!

Devo visitá-lo muito em breve…. quando tiver fotos melhores, postarei…

Abraços àqueles que vêm acompanhando a saga!

image

image

image

image

Chega! 31/08/2014

Posted by Cesar in Peças, Restauração, Serviços.
1 comment so far

Calma, não desisti não. Só compartilhando

 

Um fator que estava atrasando e muito o fim do interior do meu SP2 era a cor que escolhi: Caramelo. Não acho de jeito nenhum o material e quando acho, não é em SP para ver a tonalidade.

 

Assim, decidi ir com o preto. Preto é preto em qualquer lugar, combina com o SP2 amarelo e vai me economizar tempo e dinheiro.

 

Agora o amarelinho anda!

 

Abraços!

 

Cesar

Ainda aqui! 11/06/2014

Posted by Cesar in Amigos, Informações úteis, Restauração.
add a comment

Pessoal!

 

Muita gente tem me perguntado se eu tinha desistido do blog e da restauração. Não, isto não aconteceu.

 

A pessoa que está cuidando do interior de meu carro e de parte da montagem teve sérios problemas de saúde. Isto, aliado ao fato de não ter conseguido até o momento o couro para o interior (acho que vou para o vinil inclusive) atrasou um pouco a restauração.

 

Mas pretendo ter novidades muito em breve!!

 

Outras pessoas têm me questionado sobre o contato do restaurador de párachoques. Segue abaixo!

 

ArtShock Fiberglass
+55 11 3857-6388
+55 11 3965-4480
Rua Relíquia, 401
Casa Verde
São Paulo – SP
Abraços e obrigado a todos os que me cobram por novidades e visitam o blog!
Cesar

Motor roncando 03/11/2013

Posted by Cesar in Peças, Restauração, Serviços.
6 comments

Nesse final de semana fui até Batatais levar os vidros do carro que ainda estavam em São Paulo. Como estava por perto, acabei combinando de dar uma passada em Franca pra ver o motor de meu carro funcionando. Não o que me trouxe do RJ a SP, mas sim do que eu comprei, BL.

Durante a semana comentei com o Lerdinho sobre o motor e ele me disse que ligaria pra ver como estava, mas que podia ir sábado vê-lo também. Na sexta feira liguei para confirmar minha ida e perguntei: “e o motor?”

A resposta que veio foi a de que estava bom, sem fumaça, só que teria que pegar algumas partes do outro motor que levei, como o alternador.

Ótimo, pensei eu! Pra isso mantive os dois motores até hoje.

Pois bem, e não é que chego lá e o motor testado foi o que já estava no meu carro? Confusão na hora de direcionar qual.

Mas nada que 1:30h de carburador pra cá, de filtro de óleo pra lá, de cabo de vela, pra poder ver o outro funcionando. E o Toninho falando: “esse daqui tá bem melhor que aquele lá, escuta o que to te dizendo”.

Depois de um pequeno problema com o filtro de óleo (tinha espaço) e óleo vazando por causa disso, conseguimos ligá-lo. Fiz questão de gravar o momento!

O motor rodou redondinho, sem falhas, sem grilos e barulhos. Agora vai sofrer uma revisão completa, mas ao menos sei que tá perfeitinho.

O câmbio já tinha sido “rodado” durante a semana, no outro motor. Nesse teste não precisamos transplantá-lo para o outro.

Abaixo fotos dos motores e vídeo do exato momento que ele pegou. O óleo no final do vídeo se deu por causa da junta da tampa de válvulas que estava mal encaixada.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.